8 de setembro de 2013

Sixteen

Joe andou devagar até onde Brian e Demi conversavam alegremente. Seus punhos cerrados e sua mandíbula travada. Se o garoto fosse um desenho animado, com toda a certeza estaria soltando fumaça pelos ouvidos, tamanha a sua raiva.

- Demi, eu posso falar com você? – ele disse sério e olhando apenas para a amiga que o encarava com uma expressão triste.
- Olha, se não é meu companheiro de quarto! – Brian exclamou e abraçou Joe pelo pescoço, fazendo o garoto fechar os olhos na tentativa de manter a calma.
- Vocês se conhecem? – Demi perguntou confusa.
- Mas é claro! – foi Brian que respondeu, pois Joe não conseguia emitir som algum. – Dormimos no mesmo quarto desde que chegamos aqui, não é bro?!

Joe apenas fingiu um riso e tirou o braço de Brian que estava em torno de si.

- Eu preciso muito conversar com você, por favor! – ele voltou a atenção a amiga, ignorando o mau caráter que estava ao seu lado.
- Bem, eu sei quando não sou mais necessário. – Brian disse rindo um pouco e batendo nas costas de Joe como um cumprimento. – Até mais, Demi, nos vemos por aí! – ele disse de modo galanteador e fazendo um breve carinho no rosto da menina que corou. Joe não suportou, pegou Demi pela mão e a puxou para longe.
- Ei, o que isso? O que pensa que está fazendo? – Demi exclamou enquanto era praticamente arrastada pelo amigo.
- Salvando você. – ele disse simplesmente.
- Me salvando? – ela perguntou indignada.      
- Isso mesmo! – ele confirmou e respirou fundo, passando as mãos pelo rosto, tentando encontrar um modo de falar o que precisava ser dito. – Demi, esse cara não presta!

Demi não esboçou reação nem ao menos fez menção de que falaria algo. Joe entendeu com um sinal pra que ele continuasse falando.

- Ele é mau caráter, você precisa ficar longe dele! – Joe disse olhando diretamente nos olhos da amiga, tentando fazê-la ler a verdade em seus olhos.
- Então, só você pode ficar com uma amiga minha? – Demi disse colocando as mãos na cintura.
- Quê? Não! Demi isso não tem nada a ver! – Joe disse inconformado.
- Claro que tem! – ela disse ainda mais segura depois de ver a reação do amigo. – Mas fique você sabendo que eu gostei do Brian tá?!
- Você o quê? – Joe sentiu o coração apertar e as mãos suarem. Era o desespero tomando conta de seu corpo.
- Gostei dele! Ele me tratou super bem e é lindo! – ela disse em tom de desafio. Ela queria provocar, mas não sabia com que estava lidando.
- Demi, pelo amor de Deus, acredita em mim! – Joe disse e segurou a amiga pelos ombros. – Ele não presta!
- Me dá um motivo. - Demi exigiu afastando as mãos do amigo.

Joe passou as mãos pelo cabelo e tentou achar uma maneira de convencer Demi a ficar longe de Brian. Mas nada vinha a sua cabeça a não ser contar a verdade, mas isso estava fora de cogitação.

- Como pensei. Você não tem motivo. – ela disse rindo de canto. – É tudo implicância.

Demi preparava-se para dar as costas para o amigo quando o desespero fez Joe falar.

- Ele jamais vai gostar de você! – Joe disse e arrependeu-se no mesmo instante em que viu a cara de choque que a amiga fez.
- Como? – ela perguntou em um quase sussurro.
- Ele não é capaz de gostar de alguém como você. – Joe tentou concertar, mas acabou piorando a situação.
- Alguém como eu? – ela disse sentindo o rosto quente de raiva.

Joe engoliu em seco. Tinha dito a pior coisa que a amiga poderia ouvir e sabia disso. Precisava concertar seu erro.

- Demi, ele só vai te usar, como Peter fez! Porque ele te vê da mesma forma! Um pedaço de carne que só serve pra uma noite! – as palavras saíram da boca de Joe e assim que chegaram aos ouvidos de Demi a reação foi automática. Os cinco dedos da garota foram de encontro ao rosto do menino.

Joe a olhou incrédulo.

Demi tentava controlar a respiração e as lágrimas que caíam.

- Eu não sou mais aquela menina, Joe, nem a que você conheceu nem a que foi humilhada em Londres. – ela disse ofegante e entre lágrimas. – Eu posso sim ser amada e eu sei que existe alguém que será capaz de gostar de mim.
- Esse alguém não o Brian. Demi por favor, me escuta... – Joe ainda suplicava.
- Isso eu descubro por mim mesma. – ela disse limpando as lágrimas e virando-se para sair dali.
- Ele só está com você pra me atingir! – Joe disse por fim, na tentativa de fazer a amiga parar e acreditar nele.
- A vida não gira só em torno de você, Joe. – com essas palavras Demi saiu dali, pois não suportava mais olhar para a cara de Joe.

Caminhou para o seu quarto sentindo-se a pior pessoa no mundo.

Logo agora que tudo estava bem, que ela estava bem, Joe tinha que estragar tudo. Que mal tinha ela se envolver com alguém? Porque ela não poderia ser amada? Brian podia sim gostar dela!

Entrou no seu quarto e ficou dando voltas tentando acalmar-se, mas as coisas que passavam por sua cabeça não a ajudavam. Ela tinha que se controlar, tinha que resistir, mas... Era mais forte que ela.

Começou, então a vasculhar todo o quarto em busca de algo perfurocortante, mas não encontrou nada. Miley havia dado sumiço em tudo o que Demi poderia usar como instrumento de tortura.

A menina começou a entrar em pânico e todo o seu corpo tremia de uma maneira absurda. Nunca tinha se sentido assim, tão... Dependente. Foi até o banheiro, abriu gaveta por gaveta, mas não encontrou nada.

Então veio o ataque, o pior que Demi já teve. A garota chorava copiosamente e arranhava-se com as próprias unhas deixando vergões vermelhos por todo o rosto, pescoço, braços e onde mais suas mãos alcançassem. Começou a rasgar sua roupa enquanto continuava a arrancar pedaços de sua pele que já sangrava tamanha a força que ela fazia.

Mas dessa vez a dor não passou, pelo contrário, só tornou-se maior. Os pensamentos não foram embora, e sim ficaram mais claros.

“Ele jamais gostaria de alguém como você”
“Ele só vai te usar, como Peter fez”
“Quem gostaria de uma gorda patética?”
“Joe jamais gostaria de uma gorda patética”
“Ninguém jamais vai amar você”
“Joe jamais vai amar você”

Demi sentia todo o seu corpo arder, mas o torpor não vinha. Foi quando seus olhos bateram em umas garrafinhas transparentes que estavam em cima do balcão da pia. Em seu rótulo podia-se ler: Acetona.

Suas mãos trêmulas foram de encontro aos frascos e os destaparam desajeitadamente. Sem pensar nas consequências daquilo, derramou todo o líquido e sua pele machucada sentindo o ardor tomar conta de seu corpo. Não pode controlar o grito que saiu do fundo de sua garganta.

Mas ela não parou, continuou a despejar o líquido por toda a área do seu corpo que estava machucado, o que era quase sua totalidade. As lágrimas ajudavam a lavar o sangue dos aranhões em seu rosto e proporcionavam quase a mesma sensação que a acetona.

Quando o líquido acabou, Demi sentou-se em um canto do banheiro, fraca e desprotegida. Ela não tinha ninguém. Nem amigos, nem amores, nem sua família estava ali. Demi estava sozinha, como sempre e, para o desespero ainda maior da garota, tendia a permanecer assim, para o resto da sua vida.

Os olhos de Demi estavam quase fechados, quando ela escutou a porta abrir abruptamente e uma voz gritar por seu nome, ela conhecia aquela voz, era Miley. Sentiu seu corpo ser sacudido e ouviu soluços vindos da amiga que continuava a chamar por ela. Tentou falar, mas não teve forças, não queria que a amiga chorasse.

- Eu vou cuidar de você. Mas por favor, fica comigo, Demi... Por favor...

Isso foi a última coisa que Demi ouviu antes de ser vencida pela escuridão. Seus olhos se fecharam e seus sentidos foram apagados. O medo que invadiu Miley foi o mesmo que havia invadido Joe quando o garoto encontrou a amiga quase na mesma situação. O medo de Demi, finalmente, ter conseguido o que tanto queria em sua vida: Descansar em paz.




Continua...


n/a: Oi :) Bem, como disse esse é um capítulo muito pessoal pra mim porque resolvi colocar uma das piores experiências que tive com a automutilação. Recaídas são as piores coisas, porque é como se você não tomasse água por muito tempo, daí quando toma chega a se afogar... Mas enfim, queria apenas compartilhar com vocês. espero que gostem do capítulo apesar dela estar triste né?! :( Prometo que vai melhorar... (um pouco) u.u. Comentem amores, fiquem com papai do céu e até o próximo post. Bjus! :***


p.s.: Tô morrendo de dores nas costas devido as horas de estudo e por isso vou ficar devendo a resposta dos comentários, mas faço isso no próximo post ok?! Obrigada por tudo amores! ;) <33


17 comentários:

  1. Adorei o capítulo <3
    Eu quase choro aqui :'/
    Eu tbm já sofri recaídas... Uma foi no sábado passado... :'(
    Mas... Voltando pra fic....

    Eu sabia que ela não ia acreditar no Joe... Tava na cara!! Mas o Joe é um bocó mesmo!!! Ele merece uns tapas tbm... Onde já se Viu?? U.u

    Por enquanto é só...
    Até o próximo post ;)
    Beijinhos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recaídas são os piores momentos... Faz bastante tempo que não tenho recaídas, tento ocupar minha mente com outras coisas, mas não posso negar que vontade não falta :/
      Bem, quanto a fic... Não posso falar muito :x kk

      Njus, linda! :**

      Excluir
  2. em todos os meus três anos de automotilação eu sempre me arranhei,porque além de poder usar o gato como desculpa eu não despertava suspeita contando pra alguém. Sempre usava roupas largadas pra cobrir e quando as pessoas olhavam eu sempre tinha de engolir o choro e mentir.
    Uma vez minha mãe me jogou na minha cara tudo de ruim que eu era. Ao contrario de todos eu nao tinha raiva dela,tinha raiva de mim. E quando eu cheguei no quarto me arranhei tanto nas pernas que elas ficaram sangrando por dias, com carne exposta e desferida. E eu SEMPRE passava acetona por cima. Acetona,alcool,perfume etc... Era ardente e doloroso sim,mas eu via isso como um castigo pra pessoa ruim que eu conseguia ver em mim. Só maldade. Dizia a mim mesma que por isso ninguém nunca me amaria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. desculpe a história triste,eu só queria que você soubesse que não está sozinha nessa!

      Excluir
    2. Eu sempre usei uma lâmina, mas em um momento de grande desespero, depois que já tinha saído do tratamento, fiz isso comigo... Foi horrível! Não gosto nem de lembrar de como fiquei...
      Minha mãe disse pra mim várias vezes que tinha vergonha de ser minha mãe, porque eu era feia, gorda e burra (sim, ela usou essas palavras) Eu tinha 13 anos e, assim como você, eu ficava com raiva de mim e o resto vc deve imaginar... Eu nunca tinha usado perfume ou algo assim, foi só mesmo nesse episódio e não lembro muito porque a dor me fez desmaiar :x Enfim... Não precisa se desculpar, amor, vivemos a mesma coisa e podemos nos ajudar falando sobre... É melhor do que ficar guardando sabe?! Obrigada e saiba que você tbm não está sozinha! ;)

      Bjus, amor! <3

      Excluir
  3. O.M.G
    Que capítulo profundo
    Diva arrasou !!!
    Joe não deveria dizer essa coisas para demi,tomará que ele peça desculpas ~isso e o mínimo que ele pode fazer~.
    Posta logoo
    xoxo XD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, amor! <3
      Ele vai fazer mais que isso! ;)
      haha
      Bjus, linda! :**

      Excluir
  4. Socorro... tem um olho na
    minha lágrima
    que capitulo divo *-*
    Abalou minhas estruturas
    Joe é um bocó... e ponto.
    POSTA LOGOOO
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, linda! :**
      hahaha
      Potei, amore!
      Bjus! :**

      Excluir
  5. COMO ASSIMMMMMMMMM! Obviamente ela não morreu porque né, é a principal e tal... ENFIM. Demi precisa acreditar no Joe, aliás, ELE DEVE contar o que ta acontecendo pra Demi. Se ele realmente quer a proteger, contará o que ta havendo, pois ela vai entender e vai o ajudar. ISSO É PARA O BEM DOS DOIS!!! Não gosto de imaginar a Demi se cortando ou fazendo algo para "passar" a dor ): AAAAAAAAAAA to ficando louca. Ta perfeito, posta logo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, eu já li várias fics em que um dos principais morre u.u
      O Joe é tapado... não consegue perceber isso :x
      Nem me fale, escrever esses capítulos é muito difícil pra mim:(
      enfim... postei! ;)
      Bjus, amore! :**

      Excluir
  6. Meu amooooor desculpa não ter comentado antes e nem no outro :/ mas ta perfeito, tanto esse quanto todos os outros iuvgdsoflbui ah cara, que triste, sério mesmo :(( eu espero que ela dê a volta por cima e consiga entender que o Joe quer o bem dela e entender porquê ele fez aquilo... e bom, que eles percebam que se amam porque né hahahaha kdgsovusi tô muito ansiosa, posta logooooo :DD
    Mil beijocas
    te amo
    Brubs <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, meu amor! <3
      jashkfdjhsakfhk
      SE tudo isso acontecer está mais perto do que imagina ;)
      Beijos, meu bem! <3
      Amo vc!

      Excluir
  7. Que triste :(
    Porque o Joe tem que ser tão medroso? Contasse pra Demi logo caramba T.T tomara que ele sinta muita culpa pelo que fez u-u
    Eu adorei o capítulo então posta logo!!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse medo dele custou muito caro né?! :(
      Ele vai sentir sim, e isso não será bom :(
      Obrigada, amor!
      Bjus! :**

      Excluir
  8. Oi, foi um seco assim pq eu fiquei mto triste com esse cap, serio slá só fiquei sem reacao... mro boa a historia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own meu bem, Nem sei o que te dizer :(
      Obrigada, de verdade! <33
      Bjus, linda! :**

      Excluir

Comentem, lindas e façam uma autora feliz! :D